Fotos de Eventos RealizadosRefletindo Acessar WebMail



A palavra mágica Indique para um amigo

Os filhos fazem de tudo para ter a companhia dos pais. Quando não conseguem por meio de gestos e atitudes que despertam contentamento e admiração, eles usam outros artifícios como, por exemplo, desobediência, simulação de enfermidades, agressividade com os irmãozinhos ou pouca aplicação nas tarefas da escola e de casa. Não queremos assombrar os pais, mas as pesquisas têm apontado que, quando os filhos não têm o companheirismo dos pais, eles o buscam em outros lugares.

O que é importante os pais saberem é que, em quase todos os gestos dos filhos, se pode ouvir: "Hei, eu estou aqui, você não está me vendo?" Geralmente, os pais não conseguem ouvir porque estão distraídos demais com muitas outras coisas. Para muitos pais, os principais elementos externos que prejudicam o fato de não estarem mais tempo com os filhos são a devoção ao trabalho e os estudos. já para outros, talvez sejam as horas dispensadas ao televisor ou computador. Mas há ainda um outro grupo que gasta as poucas horas que restam com amigos, leitura e isolamento.

Os filhos não somente querem a companhia dos pais. Eles querem e precisam de muito mais coisas. Eles querem e precisam mesmo é ter nos pais um amigo de todas as horas, alguém em que possam confiar; não um mero provedor de alimentos que enche a dispensa e logo desaparece em busca de mais ou de uma mera dona-de-casa que passa mais horas cuidando da casa do que deles. Para atravessar nossos filhos pelas várias dificuldades que a vida lhes reserva e desafiar essa era em que os valores familiares estão rapidamente se perdendo, precisamos de muito mais que um provedor e muito mais que uma dona-de-casa; vamos precisar de pais-companheiros, de pais-amigos e de pais que sabem que os filhos precisam deles tanto quanto o girassol precisa do sol.

Os pais devem estar atentos às principais necessidades dos filhos, e uma delas é a comunicação regada de interesse, mesclada com o prazer de estar junto. Isso ajuda o desenvolvimento físico e psicológico de nossos filhos. Os pais que têm um relaciona-mento desses com os filhos enfrentarão pouca dificuldade ao pregar o evangelho a eles, e pouca resistência esses filhos apresentarão ao ouvir acerca de Jesus como seu salvador. Na verdade, eles descobrirão que o amigo e o companheiro que buscaram durante toda a vida só pode ser perfeitamente encontrado em Cristo Jesus.

Certa vez, um desses pais que gastam pouco tempo com os filhos, ao chegar a casa, ordenou que eles fossem dormir. Os filhos, sem muita relutância, obedeceram. Porém, depois de uns minutos, o pai ouviu uma conversa em um tom bem baixo; ele aproximou-se da porta e ouviu um deles perguntando: "Será que o papai gosta da gente?" É interessante, mas para esses filhos nunca faltou roupa, alimento e brinquedos, mas faltava o principal - um tempo com os filhos; era por isso que "gemiam". Gastar tempo com os filhos é o modo mais real de os pais dizerem que amam e é o modo mais eficiente de alimentar as necessidades de afeto de que os filhos tanto precisam.

Outro pai, depois de entrar no quarto dos filhos, que estavam se aprontando para dormir, viu que um deles brincava fingindo ter desmaiado. O irmãozinho, entendendo tudo, disse ao pai: "Pai, fala aquela palavra mágica!" - então o pai disse: "Eu te amo" e deu um beijo na face dele, e o filho logo ficou de pé, falando que estava bem. É bem possível que haja muitos filhos precisando ouvir tais palavras combinadas com um beijo para viver! Mas, para isso, e necessário que os pais passem um tempo com eles.

Fonte: Jornal Árvore da Vida nº 158

 

 

Voltar

Rua Artur Machado 935, Boa Vista - Uberaba-MG