Fotos de Eventos RealizadosRefletindo Acessar WebMail



O Reino e a Igreja - Parte 3 Indique para um amigo

O REINO EDIFICA A IGREJA

“Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela; dar-te-ei as chaves do reino dos céus; o que ligares, pois, na terra será ligado nos céus, e o que desligares na terra será desligado nos céus” (Mt 16:18-19).

“Vós também, quais pedras vivas, sois edificados como casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus por Jesus Cristo” (1 Pe 5:5).

“Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. E, se alguém sobre este fundamento levanta um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará; pois aquele dia a demonstrará, porque será revelada no fogo, e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se permanecer a obra que alguém sobre ele edificou, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele prejuízo; mas o tal será salvo, todavia como que pelo fogo” (1 Co 3:11-15).

“Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, sendo o próprio Cristo Jesus a principal pedra da esquina; no qual todo o edifício bem ajustado cresce para templo santo no Senhor, no qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus no Espírito” (Ef 2:20-22).

Vamos orar:

Querido Pai celestial, quando nos reunimos no nome do Teu Filho amado, nosso Senhor Jesus, Ti louvamos e Ti agradecemos porque Tu amaste a igreja e Ti deste por ela. Ti agradecemos e louvamos porque Tu também amas Teu reino e, Senhor, pedimos que nós, também, possamos amar Tua igreja e possamos amar Teu reino. Oramos para que Tu aumentes em nosso coração tal amor por Teu reino e pela Tua igreja porque são coisas que Tu carinhosamente amas. Oh Senhor Tu irás pelo teu Espírito falar ao nosso coração e nos conduzir àquilo que Tu estas buscando.Encomendamos este tempo em Tuas mãos no nome de nosso Senhor Jesus. Amém.

Estamos olhando para o reino e para a igreja de quatro ângulos diferentes. Número um: o reino é um com a igreja. Quando entre na realidade espiritual, descobre que o reino e a igreja realmente são o mesmo. Eles são os dois aspectos de uma mesma coisa. Quando você pensa na igreja, pensa na vida; quando você pensa no reino, pensa na autoridade. Quando você pensa na igreja, pensa na liberdade; quando você pensa no reino pensa no governo.Quando você pensa na igreja, pensa em comunhão. Quando você pensa na igreja, pensa em amor, mas quando pensa no reino pensa em disciplina. Estes dois aspectos têm que funcionar juntos porque na realidade espiritual o reino e a igreja são um.

O segundo ângulo é que o reino é maior do que a igreja. Muito embora o conceito da realidade da igreja esteja em Deus, mesmo antes da fundação do mundo,contudo ele permanece um mistério. Não até que este mistério fosse revelado aos apóstolos e profetas pelo Espírito Santo viemos a conhecer aquele mistério de Cristo que é a igreja.

O próprio nosso Senhor enquanto estava na terra lançou um fundamento. Ele mencionou a igreja duas vezes, conforme encontramos em Mateus 16 e Mateus 18, mas ainda não havia a igreja. Ele lançou um fundamento através da Sua morte. Do Seu lado saiu sangue e água, e com esse material Ele edificará Sua igreja.

No dia de Pentecostes o Espírito Santo veio sobre cento e vinte que estavam reunidos e oravam unânimes. Em um Espírito estes cento e vinte crentes foram batizados em um corpo. Este é começo da igreja. Em um sentido, dizemos que a igreja começou, no que concerne à sua história no tempo, com a primeira vinda de nosso Senhor Jesus. Ela permanecerá e continuará a crescer e aumentar, continuará a ser amadurecida até a segunda vinda de nosso Senhor Jesus, quando virá para tomar Sua igreja para ser Sua noiva.

Quando pensamos no reino, dizemos que ele começa de fato com a criação. Quando Deus criou os céus e a terra, Ele que é o Soberano se tornou o Soberano do universo. Ele que é o Rei começou a ter domínio sobre aquilo que reina e no qual pode conceder, manifestar e expressar Seu próprio caráter. Por isso dizemos que o reino de Deus começa com a primeira criação e continua através das eras, não apenas no tempo do Velho Testamento, mas também no tempo do Novo Testamento. Assim encontramos que ele é paralelo à igreja, e ainda é maior do que a igreja. Por que? É porque sempre que o evangelho do reino dos céus é pregado, onde quer que o som vá e as pessoas vêem sob a influência daquele som, você encontrará que uma aparência exterior daquele reino dos céus irá aparecer sobre esta terra. E está aparência exterior está mostrado nas parábolas de Mateus, o mistério do reino dos céus.

Agora devemos lembrar que estas parábolas, o mistério do reino dos céus, representam a cristandade. Isso é, sempre que o som do evangelho se espalha, você encontra trigo e joio reunidos juntos. Isso é a cristandade, não é a igreja. Por isso neste sentido, o reino é maior que a igreja.

Então, certamente, na vinda de nosso Senhor Jesus, Ele estabelecerá o Seu reino sobre esta terra, o reino milenar. Na realidade, existem duas partes no reino milenar. A parte mais inferior que é o Reino Messiânico sobre esta terra cujo trono estará estabelecido em Jerusalém e a nação de Israel será a principal das nações. Eles serão uma nação de sacerdotes como Deus prometeu. Eles sairão e liderarão os povos para adorarem a Deus. Também, naquele tempo, haverá a parte superior, a parte celestial. Na parte celestial você encontra os santos no alto, aqueles vencedores da igreja. Eles reinarão com Cristo por mil anos. É um tempo quando o céu reinará sobre a terra. Assim você encontra que reino realmente é maior que a igreja.

Então, certamente, depois do milênio haverá a eternidade. Na eternidade haverá novos céus e nova terra, e a nova Jerusalém descerá do céu para esta terra. Este é o tempo em que a igreja é fundida com o reino eterno de Deus. Por isso dizemos que o reino é maior que a igreja.

Na verdade, durante as duas sessões passadas sobre o reino e a igreja, estivemos apenas lançando o fundamento. Nosso encargo na realidade é com a inter-relação entre o reino e a igreja. Agora gostaríamos de considerar juntos diante do Senhor: O Reino Edifica a Igreja.

Nas quatro passagens que lemos, você encontra a palavra edificar em cada passagem. Em outras palavras, a igreja tem que ser edificada. Em Mateus 16, nosso Senhor Jesus mesmo disse: “Eu edificarei Minha igreja”. A igreja não é algo que surge repentinamente. A igreja não é apenas algumas pedras jogadas juntas. A igreja precisa ser edificada. Mas como a igreja é edificada? Qual é a chave para a edificação da igreja de Deus?

Hoje, temos que reconhecer que tanto quanto podemos ver, parece como se a igreja não estivesse sendo edificada. Parece como se estas pedras vivas não estivessem sendo edificadas juntas. Muito embora creiamos que quando o Senhor disse: “Eu edificarei a Minha igreja”, Ele está edificando, parece que Ele não está edificando tão rápido, tão amplamente como deveria ser. E provavelmente esta é uma razão pela qual o Noivo ainda está esperando pela noiva. Por isso é muito importante para nós sabermos como a igreja é edificada. Qual é a chave para a edificação da igreja?

AS CHAVES DO REINO

Nosso Senhor Jesus disse: “Tu és Pedro, uma rocha, uma pedra. Sobre esta rocha (isto é Ele mesmo, a confissão Dele como o Cristo, o Filho do Deus vivo) Eu edificarei a Minha igreja” (ver Mateus 16:18). Isso é o que Ele está fazendo, mas como? No verso seguinte Ele disse: “Ti darei as chaves do reino, e tudo o que ligares nesta terra será ligado no céu, e tudo o que desligares nesta terra será desligado no céu”. No original nos é dito: “Tudo o que vós ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que vós desligardes na terra será desligado no céu”.

Estas chaves do reino não são dadas apenas a Pedro. No verso paralelo em Mateus 18 nosso Senhor Jesus disse:

“Em verdade vos digo: Tudo quanto ligardes na terra será ligado no céu; e tudo quanto desligardes na terra será desligado no céu. Ainda vos digo mais: Se dois de vós na terra concordarem acerca de qualquer coisa que pedirem, isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus. Pois onde se acham dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles” (versos 18-20).

Em Mateus 16, as chaves do reino foram dadas a Pedro, mas então em Mateus 18 elas foram realmente dadas à igreja, aos crentes. “Tudo o que vós ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que vós desligardes na terra será desligado no céu”. Quem são essas pessoas que estão ligando e desligando? “Se dois de vós na terra concordarem... Pois onde se acharem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles”. Assim podemos dizer que estas chaves são dadas aos crentes, à igreja.

O que são as chaves? O que representam as chaves? Certamente, as chaves representam autoridade ou poder. Há a autoridade, o poder de ligar a o poder e autoridade para desligar. O que realmente é autoridade? Depois da ressurreição de nosso Senhor Jesus, Ele apareceu aos Seus discípulos a João disse:

“E havendo dito isso, assoprou sobre eles, e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. Àqueles a quem perdoardes os pecados, são-lhes perdoados; e àqueles a quem os retiverdes, são-lhes retidos” (Jo 20:22-23).

Em outras palavras, o poder e autoridade do reino dos céus é o Espírito Santo que é dado, não Pedro, não os crentes, mas o Espírito Santo neles. O Espírito Santo é a autoridade e o poder do reino dos céus. Em Isaías 22:22, é dito:

“Porei a chave da casa de Davi sobre o seu ombro; ele abrirá, e ninguém fechará; fechará, e ninguém abrirá”.

“Ao anjo da igreja em Filadélfia escreve: Isto diz o que é santo, o que é verdadeiro, o que tem a chave de Davi; o que abre, e ninguém fecha; e fecha, e ninguém abre” (Ap 3:7).

Aqui você encontra a chave da casa de Davi e a chave de Davi. Creio que todos nós sabemos que Davi é a representação do reinado. Assim, esta é a chave do reino de Deus e com esta chave você pode abri-lo; abrir a porta da casa de Davi, do reino, ou você pode fechá-la. É interessante que aqui em Isaías 22 e em Apocalipse 3 a chave está no singular. Você não precisa de duas chaves – uma para abrir a porta e uma para fechá-la, trancá-la. Esta única chave é suficiente para abri-la e para fechá-la. Mas em Mateus 16 as chaves estão no plural.

Agora certamente a interpretação aceita é que Pedro usou duas chaves – uma para abrir a porta do reino aos judeus e uma para abrir a porta do reino para os gentios. No dia de Pentecostes, depois do Espírito Santo vir sobre aquelas pessoas e começarem a engrandecer o Senhor, uma grande multidão começou a se reunir em torno deles. E Pedro se levantou com os onze, e pregou o reino dos céus para a multidão. Ele concluiu sua mensagem dizendo:

“Saiba, pois com certeza toda a casa de Israel que a esse mesmo Jesus, a quem vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo” (At 2:36).

Ele é exaltado, Ele é o Senhor do universo, Ele é o Rei sobre tudo. Este é o evangelho do reino de Deus que ele pregou, e depois de pregar as pessoas foram tocadas no coração. Estavam convictas, por isso perguntaram o que deveriam fazer. E Pedro disse:

“Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo”(At 2:38).

Os cristãos evangélicos diriam: “Pedro, você está errado. Quando as pessoas estão convictas, você precisa dizer a elas que devem crer nos Senhor Jesus. Você nem ao menos disse a elas que deveriam crer”. Mas Pedro não disse: “Creiam no Senhor Jesus”. Tudo o que ele disse foi: “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo”. Por que? Porque para os judeus daquele tempo a crucificação, a morte e a ressurreição de nosso Senhor Jesus tinha sido diante de seus olhos. Em outras palavras, era algo efetuado diante deles por isso tudo o que precisavam fazer era se arrependerem; se arrependerem de sua rejeição ao Messias e serem batizados em Seu nome, para pertencerem a Ele. E ao fazerem isso seus pecados seriam cancelados e eles poderiam receber o dom do Espírito Santo. Assim Pedro, usou aquela chave para abrir a porta do reino aos judeus.

Então, em Atos 10, Pedro foi enviado à casa de Cornélio que era toda composta de gentios e começou a pregar novamente. Na verdade, Pedro foi apenas até a primeira parte do seu sermão. Depois de ter pregado algo sobre o Senhor Jesus, fez uma pequena conclusão, não com alguma idéia que fosse para concluir sua mensagem. Ele apenas resumiu o que tinha dito e estava para continuar. Ele não tinha terminado a mensagem ainda. Provavelmente ele tinha muito para prosseguir, então disse: “A ele todos os profetas dão testemunho de que todo o que nele crê receberá a remissão dos pecados pelo seu nome” (At 10:43). Aqui você descobre que sua mensagem é realmente evangélica. Ele disse: “Creia”. Você precisa crer no Senhor Jesus para a remissão dos seus pecados. Bem, estes eram gentios. Eles nem mesmo sabiam que o Senhor tinha ressuscitado, por isso tinham que crer no Senhor Jesus para a remissão dos seus pecados. Assim as pessoas dizem que realmente Pedro teve que usar duas chaves diferentes, uma para os judeus e uma para os gentios. Isso pode ser assim, não sei.

AS CHAVES DA MORTE E DO HADES

Há uma outra Escritura que menciona mais do que uma chave. Nosso Senhor declarou ao Seu discípulo amado João:

“Eu sou o que vivo; fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre! e tenho as chaves da morte e do inferno” (Ap 1:18).

Aqui, chave está no plural mais uma vez. A morte e o hades. Pergunto se há um tipo de contraste ou um tipo de complemento ali. As chaves da morte e do hades são negativas. As chaves do reino dos céus são positivas.

Satanás tem o poder da morte, a força da morte porque o salário do pecado é a morte. Como ele tenta as pessoas para pecar, então elas estão sob seu domínio. Em outras palavras, ele tem a chave da morte, e a usa para ameaçar as pessoas. Em Hebreus 2, você encontra que as pessoas temem a morte e ele usa esse temor da morte para as escravizar. A morte é tão poderosa que quando vem, você não pode pedir por mais cinco minutos de graça. A morte é tão poderosa que uma vez que ela agarra você, nunca o deixará ir. Através dos séculos incontáveis pessoas entraram na morte e nenhuma jamais retornou. Satanás tem a chave da morte, e ele a abre a todo aquele que peca, e então ele apenas a fecha. Mas, graças a Deus, há um Homem!

Na mensagem de Pedro no dia de Pentecostes, ele mencionou Salmos 16, uma profecia sobre o Messias, e disse que a morte não poderia retê-Lo, o hades não poderia retê-Lo. Em outras palavras, nosso Senhor Jesus propositalmente, voluntariamente entrou na morte a fim de despojar a morte do seu poder e tomar a chave das mãos de Satanás e tomá-la em Sua própria mão.

Por isso, irmãos e irmãs, Ele nos libertou do temor da morte. “Aquele que crê em mim”, disse o Senhor, “nunca perecerá”. Esta é a razão do porque quando um crente, um santo, um filho de Deus morre fisicamente, a Bíblia diz que ele dormiu. Você não tem medo de ir dormir. Penso que você dá boas vindas ao sono. Depois de um dia cansativo, você busca ter uma doce noite de sono. E ir dormir significa que um dia você se levantará, você espera ser despertado. Para os crentes, o aguilhão da morte já se foi. O aguilhão do pecado é a morte, e o poder da morte foi tragado pela vida. Nosso Senhor Jesus entrou na morte, despojou a morte do seu poder, e Ele voltou da morte em ressurreição, e tem a chave da morte. Irmãos e irmãs, não estamos debaixo do temor do pecado.

Espiritualmente falando, há uma lei da morte justamente como há uma lei do pecado, mas nós que somos do Senhor, nós que estamos em Cristo estamos acima da lei da morte porque a lei do espírito de vida venceu a lei do pecado e da morte. A lei do pecado é que você tem que fazer aquilo que você sabe que não deveria fazer. A lei da morte é que você não faz aquilo que você deveria fazer. Mas graças a Deus, Ele venceu a morte e estamos aptos para fazer Sua vontade.

Agora, Ele não tem apenas a chave da morte, mas também a chave do hades. Hades é o lugar para onde o ímpio que morre vai. É como uma casa de detenção para todos os que são ímpios (e por ímpio quero dizer à vista de Deus). Pode haver muitas pessoas que são normais, muito religiosas, mas não têm a vida, a vida eterna. Quando elas morrem sem crerem no Senhor Jesus, sem serem salvas, irão para o hades. Este é o lugar dos ímpios. Nosso Senhor Jesus tem esta chave, também. Esta é a razão pela qual Ele disse: “Eu edificarei a minha igreja sobre esta rocha e as portas do hades não prevalecerão sobre ela”. Ele tem a chave.

Nos é dito que em Mateus 16 não há artigo definido antes da palavra “portas”. O hades parece ter muitas portas porque o caminho do hades é espaçoso e há muitas portas pelas quais você pode entrar. É muito fácil de entrar. Já que não há artigo definido “as” antes de portas, isso expressa a característica do poder ao invés de um objeto definido.

Em outras palavras, “portas do hades” representam o poder maligno, o poder das trevas, a habitação da malignidade. E aqui nosso Senhor Jesus disse que as portas do hades não prevalecerão contra a igreja que Ele edifica. Todas as portas podem ser abertas, mas com Sua permissão. Ele tem a chave. Ele pode abrir as portas do hades e permitir que a impiedade venha e tente e teste Sua igreja, mas Ele também a fecha. Assim, qualquer coisa que possa acontecer – perseguição, ataques, qualquer poder que parece vir do hades, lembre-se que tudo está sob o controle do nosso Senhor. Ele autoriza, Ele os permite por uma razão, para nos aperfeiçoar. Graças a Deus, nosso Senhor Jesus tem a chave da morte e do hades. Não há temor para nós da morte ou do poder das trevas. Isso é negativo.

Então você encontra uma coisa positiva. Nosso Senhor Jesus tem as chaves do reino dos céus e Ele as deu ao Seu povo. Você não precisa concordar comigo, mas pergunto porque é que Ele disse as chaves? Agora se existem chaves da morte e do hades e o hades é o próximo passo da morte, pergunto se as chaves do reino dos céus são similares. Isso significa que você usa uma chave para abrir a porta para entrar no reino dos céus. Mas o reino dos céus tem muitos compartimentos e você precisa mais chaves para abrir as portas para cada compartimento para que você possa realmente entrar no reino abundantemente. E tanto quanto o que concerne à nossa experiência, esse parece ser o caso. Entramos por nascimento. “Em verdade, em verdade eu digo que a menos que alguém seja nascido da água e do espírito não pode entrar no reino de Deus”. Esta é a chave que abre e você nasce no reino, mas isso não significa que porque você está no reino você é do reino. Você precisa ser violento, para se apoderar dele, tomá-lo por força.

PREGANDO O EVANGELHO DO REINO

A chave para a edificação da igreja é o reino. Como o reino edifica a igreja? Primeiro de tudo, é a pregação do evangelho do reino. Sem a pregação do evangelho do reino não haverá material para edificar a igreja. Infelizmente, quando pregamos o evangelho, pregamos de acordo com Lucas e paramos ali. Quando lemos o evangelho de acordo com Lucas, depois que nosso Senhor Jesus ressuscitou e apareceu aos Seus discípulos, disse que fossem e pregassem o arrependimento e a remissão dos pecados. Assim algumas vezes dizemos que o evangelho conforme Lucas é o evangelho da graça (ver Lucas 24). Em outras palavras, você apenas diz às pessoas que Cristo morreu por eles na cruz, portanto os pecados delas podem ser perdoados se elas apenas se arrependerem e crerem Nele. Então os pecados delas serão perdoados e elas estarão bem.

Este é o evangelho que é pregado hoje, mas quando você vai à Palavra de Deus, dos quatro evangelhos, Deus colocou o de Mateus primeiro. O evangelho de Mateus é o evangelho do Rei, o evangelho do reino e essa parece ser a parte principal do evangelho de Jesus Cristo. Há apenas um evangelho. Não é que você tem um evangelho da graça e um evangelho do reino, como se houvessem dois evangelhos diferentes. Não, eles são diferentes aspectos do evangelho de Jesus Cristo. Poço dizer que o evangelho da graça é para o evangelho do reino. o reino é o propósito de Deus. A graça é o Seu meio para aquele fim porque sem a graça vocês nunca estarão capacitados para ganhar o reino.

Graça

O que é graça? Dizemos que graça é o favor imerecido que Deus apenas dá livremente, geralmente, liberalmente, sem acepção de pessoa, para pessoas que não merecem. Isso é verdade. Mas você sabe que a palavra graça no original grego é composta de três significados diferentes e que eles estão juntos? A graça dada livremente, gratuitamente e geralmente, é o meio dos três. Isto é, a única que pregamos e recebemos.

Na realidade, a palavra graça em primeiro lugar significa que há um objeto ou uma pessoa que é bela, que é graciosa para se ver. A graça não começa com dar, a graça começa com aquele que dá. Agora, estamos interessados com o que é dado, mas nos esquecemos daquele que dá. Assim a graça, primeiro de tudo, é para ver Aquele que é belo, que é tão gracioso. Quem é Aquele que é tão gracioso, tão belo? Certamente é o nosso Senhor. A primeira parte é a pessoa graciosa. Então aquela pessoa graciosa deu graciosamente e esta é a segunda parte. A terceira parte é aquele que recebe a graça, que a graça irá operar tanto nele, irá movê-lo tanto, irá mudá-lo tanto que ele se tornará gracioso também, como aquele que é tão gracioso. Se dissermos que recebemos graça e ainda não somos mudados, não somos graciosos, não somos belos, mas feios, não sabemos o que é graça. É justamente como aquele servo, que sendo perdoado pelo seu mestre de tanto, ainda assim saiu e agarrou o pescoço de seu companheiro justamente por um pequeno e minúsculo débito. Ele foi lançado de volta na prisão.

Vamos nos lembrar que não há na verdade oposição entre graça e reino. Algumas vezes pensamos da graça como sendo gratuita; você não faz nada e o reino, este demanda muito. É muito custoso. Você tem que trabalhar por ele e você descobre que estas são colocações inteiramente opostas. Não, elas são uma. Se você conhece realmente o que é a graça, quando você vê tal beleza, tal Pessoa graciosa, nosso Senhor, que deu a Si mesmo por você, você é tão constrangido pelo Seu amor que pode apenas dar-se novamente a Ele e reconhecê-Lo como seu Rei, como seu Senhor, e deixá-Lo reinar sobre você. Isso é natural, espontâneo, e isso é o reino, o reinado. Não há oposição. É somente pela graça que entramos ou ganhamos o reino.

Porque a igreja não é edificada? É porque, hoje, há deficiência na pregação do evangelho de Jesus Cristo. Pregamos um evangelho barato, e qual é o resultado? Agora, graças a Deus somos salvos; graças a Deus que recebemos vida, mas isso é tudo. Sabemos que estamos seguros eternamente, e então vamos embora e vivemos nossa própria vida. O reino não está em vista. O Rei não está em vista. O aceitamos como nosso Salvador, mas ainda não nos rendemos a Ele como nosso Senhor, nosso Soberano, nosso Rei. Você pode edificar uma igreja com pessoas que são salvas, mas carnais? Não há forma de edificar a igreja. O evangelho do reino precisa ser pregado.

O Evangelho do Reino

O que é o evangelho do reino? Jesus é Senhor, Jesus é Rei, Jesus é Soberano. O evangelho não é somente para crer nele, é para obedecer a ele. Em Romanos 1 é dito:

“Obediência para a fé”. Em Pedro 1 é dito: “A obediência e a aspersão do sangue de nosso Senhor Jesus”. No evangelho não há apenas crer, há também obedecer. Hoje, você encontra pessoas que crêem, mas aquilo que crêem é muito deficiente. Elas não sabem que o Único a quem crêem é o Senhor dos senhores, o Rei dos reis. Elas não sabem que Ele é a Majestade a quem elas devem entregar-se e obedecer. Esta é a razão pela qual você encontra em Romanos 12:

“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional” (verso 1).

PEDRAS VIVAS

Graças a Deus, nós que estávamos mortos agora estamos vivos. Somos as pedras vivas que Pedro disse que seriam edificadas juntas em uma casa espiritual. Mas, você sabe que muito embora você seja uma pedra viva, uma pedra com vida, há uma porção de arestas, muita sujeira, muita poeira, muitas outras coisas que estão sobre você?

Disseram-me que quando se tenta minerar ouro, é preciso minerar talvez uma tonelada de minério para se obter um minúsculo pedaço de ouro. Todo o resto é lixo. Você sabe que muito embora sejamos salvos, muito embora haja vida em nós, muito embora tenhamos nos tornado uma pedra, a poeira da terra rodeia esta pedra? Inicialmente estávamos sujos; éramos feitos de pó, mas nosso Senhor disse: “Tu és Pedro agora, tu és uma pedra”. Muito embora tenha havido uma mudança dentro de nós em nosso espírito, nascemos de novo, e nos tornamos pedra, tudo o que vocês podem ver é poeira, não pedra.

É justamente como Paulo disse: “Temos este tesouro em vasos de barro” (2 Co 4:7). Somos vasos terrenos e o tesouro está escondido ali, e enquanto esse vaso terreno não é rachado ou quebrado, não há forma do brilho do tesouro resplandecer. E irmãos e irmãs, isso é o que somos. Somos pedras vivas, mas há tanta poeira e sujeira ao nosso redor – nossa carne, nossos velhos hábitos, nós mesmos. A menos que estas coisas estejam sendo tratadas, sendo lançadas fora, como você pode edificar estas pedras? Elas não podem estar juntas.

Suponha que você tem uma pedra aqui, um pedaço minúsculo de pedra, e esta pedra está cercada com muita terra, e há outra pedra do mesmo jeito. Quando você as coloca juntas, elas nem ao menos se encontram. O que se encontra é a terra e é isso o que esta acontecendo na igreja hoje. Irmãos e irmãs, não encontramos Cristo em cada um dos outros. Nos encontramos uns aos outros em Adão. Esta é a razão do porque a igreja não pode ser edificada. É por isso que a cruz precisa funcionar.

A LEI DO REINO

A cruz é a lei do reino. a cruz tem que operar em nossa vida para tirar todas estas coisas terrenas. Aquilo que é terreno, mundano, tem que ser tirado para que possamos ser pessoas celestiais. Aquilo que é natural tem que ser tratado, para que aquilo que é espiritual possa ser manifestado. Aquilo que é de nós mesmos tem que ser tratado, para que aquilo que é de Cristo possa ser expresso. Por quanto tratamento temos de passar, e isso é a cruz. A cruz é onde somos crucificados. “Fora com ele”. A cruz é onde somos colocados para morrermos para que todas estas coisas possam ser tiradas.

É muito interessante quando você olha para a Escritura para encontrar que o apóstolo Paulo disse que o fundamento foi colocado, e o fundamento não é outro senão Jesus Cristo. Não pode haver outro fundamento, mas ele disse para sermos cuidadosos com o que edificamos sobre ele. Se você edifica com ouro, prata ou pedras preciosas ou com madeira, feno e palha, um dia o fogo revelará. Se você edifica com madeira, feno e palha eles serão queimados. Você será salvo, mas meramente, apenas salvo. Se você edifica com ouro, prata e pedras preciosas então o fogo só exibirá o esplendor. Você será recompensado, e sabemos que a recompensa é o reino (ver 1 Co 3).

Em Apocalipse 21 e 22, você encontra a nova Jerusalém edificada, o produto final. O que você encontra ali? Você encontra que toda a cidade, a nova Jerusalém, é edificada com ouro, pedras preciosas e pérola – nada mais. A prata não é mencionada ali porque a obra da redenção fez sua obra. Sabemos que o ouro representa a natureza, a vida de Deus. As pedras preciosas representam o caráter de Cristo. As pérolas é a obra paciente do Espírito Santo.

PEDRAS PRECIOSAS

Não somos apenas pedras vivas, todos nós devemos ser pedras preciosas. Apenas ser vivo não o suficiente, você precisa ser precioso. O próprio Senhor Jesus é uma pedra preciosa. Em Isaías 28 Deus disse: “Eis que ponho em Sião como alicerce uma pedra, uma pedra provada, pedra preciosa de esquina, de firme fundamento; aquele que crer não se apressará” (verso 16). Por isso, nosso Senhor Jesus não é apenas uma pedra, uma pedra provada, uma pedra que foi testada, Ele é uma pedra preciosa. Este é o fundamento, e o edifício sobre este fundamento tem que ser de pedras preciosas.

Irmãos e irmãs somos pedras vivas, mas somos preciosos? Nos tornamos pedras vivas por recebermos Sua vida em nós, mas como nos tornaremos pedras preciosas? Você sabe, as pedras preciosas não são elementos, elas são compostas. Elementos diferentes são soberanamente colocados juntos, originalmente colocados juntos sob pressão, sob calor, em escuridão, através de um longo período de tempo, e isto produz pedras preciosas. Portanto, pedras preciosas não são baratas, elas são preciosas.

Como podemos nos tornar pedras preciosas para que possamos ser edificados naquela cidade, a nova Jerusalém; a menos que permitamos que o Espírito Santo ponha em ordem nosso meio ambiente. Chamamos isso de disciplina do Espírito Santo. Esta é a lei do reino. Ele põe em ordem nosso meio ambiente, nos coloca com certas pessoas, nos coloca em certo lugar, uma certa localização, permite que certas coisas aconteçam em nossa vida. Estas são as pressões. Você sente a pressão diária? Há calor. Você o sente? Algumas vezes você sente que está tudo escuro. E isso não apenas por um dia. Estas coisas vêem sobre você mais e mais vezes por um longo período de tempo. Você não entende porque. Você pensa que uma vida cristã é uma navegação tranqüila. Você não sabe que é o caminho da cruz? Você está sob pressão, sob fogo, em escuridão. O Espírito Santo está colocando juntos os aspectos do caráter de nosso Senhor Jesus em sua vida.

Jaspe

Alguém pode ser como uma pedra de jaspe. Na nova Jerusalém, o brilho de toda a cidade é como uma pedra de jaspe. O muro é feito de jaspe. E quando você volta para Apocalipse 4, você encontra Aquele que está sentado no trono cuja aparência é como uma pedra de jaspe. O jaspe é uma aparência de Deus, o brilho de Deus. É a primeira pedra que forma o fundamento da nova Jerusalém. É a última pedra sobre o peitoral do sumo sacerdote. Ela tem uma cor azul, a cor do céu. Ela fala dos lugares celestiais.

Nos tempos antigos eles pensavam que jaspe denotava satisfação. De acordo com a tradição, na igreja primitiva, eles se referiam a Pedro como jaspe. Pedro encontrou sua satisfação no Senhor: “Senhor, Tu tens a palavra da vida, para onde iremos?” E através de muitos tratamentos, Pedro se tornou uma satisfação para o coração de Deus. Ele se tornou celestial, não terreno – não mais Simão, mas Pedro. Há tal transformação em sua vida? Você espera que possa viver uma vida carnal por toda vida, e então, quando o Senhor vier, repentinamente você é transformado em jaspe como Ele? Nunca. Você precisa ser transformado hoje. A obra está sendo feita enquanto você vive.

Vocês sabem, algumas vezes quando me levanto pela manhã agradeço ao Senhor porque ainda estou vivo. Ele me deu mais um dia de oportunidade. Ele ainda está nos mudando de terrenos para celestiais. Nada terreno pode entrar no céu. Somente aquilo que é celestial pode herdar o reino celestial. Você encontra satisfação no Senhor? Você precisa ir ao mundo para encontrar sua satisfação? Somos uma satisfação para o Senhor? Ele está satisfeito conosco? Isso é a pedra de jaspe, e esta pedra pode ser edificada naquela cidade santa, a Nova Jerusalém.

Sárdio

Tome outra pedra, o sárdio. Esta pedra é a primeira no peitoral do sumo sacerdote. É a sexta pedra no fundamento da nova Jerusalém. Em Apocalipse 4, a aparência de Deus sobre o trono é como um jaspe e sárdio. Nos é dito que em hebraico sárdio, odem, significa “vermelho”. É uma pedra vermelha. Tradicionalmente, ela está conectada ao nosso Senhor Jesus, nosso Salvador, e Seu sangue. Nos é dito que dentre todas as pedras, esta pedra pode ser polida muito perfeitamente. Ela é tão transparente que quando você a coloca diante da luz, a luz brilhará através dela.

Agora, isso diz a você que através do sangue de nosso Senhor Jesus, Ele nos limpou a tal grau que nos tornamos transparentes. A vida de nosso Senhor Jesus na terra foi transparente. Nele não havia nenhuma opacidade, nem frente nem costa. Ele não era de um jeito diante do homem e de outra diante Dele mesmo. Nosso Senhor Jesus era transparente, nada escondido. Este é o Seu caráter que precisa ser edificado em nós. Quão opacos somos, vasos terrenos. Não temos recursos para sermos transparentes. Temos que representar como um ator neste mundo, e não apenas no teatro deste mundo, mas mesmo na igreja, representamos. Não somos reais, não somos transparentes. Como precisamos do Espírito Santo para nos convencer, tirar toda esta opacidade e escuridão em nós, para que a luz de Deus possa brilhar através de nós. Esta é a pedra de sárdio, e esta pedra é um fundamento da nova Jerusalém.

Esmeralda

Tome uma outra pedra, a esmeralda. (A razão de eu usar estas três pedras é porque elas são encontradas em Apocalipse 4). A aparência de Deus sobre o trono é como jaspe e sárdio, e há um arco íris em torno do trono como esmeralda. A pedra de esmeralda é a quarta pedra do peitoral do sumo sacerdote. É também encontrada no fundamento da nova Jerusalém. A palavra esmeralda, tanto em grego como em hebraico, significa “carne”. Ela é de uma cor verde vívida e aveludada, e foi considerada como que representando a ressurreição, a vida. A cor verde é a cor da vida. A canção da esmeralda é a canção da salvação – você precisa ser nascido de novo. Nos é dito que nos tempos antigos ela era uma pedra que poderia testar o que era falso e o que era verdadeiro. Era uma pedra de teste.

Irmãos e irmãs, aquilo que deve ser edificado em nossa vida é essa vida de ressurreição. O Senhor disse: “Eu sou a ressurreição e a vida”. Esta vida testará se é real, verdadeira, ou se é irreal e falsa. Você não discerne o bem e o mal comendo da árvore do conhecimento do bem e do mal. Você discerne o bem e o mal comendo da árvore da vida. Isso é discernimento espiritual. A vida dirá se é real ou se é representação. O conhecimento não pode dizer. Algumas pessoas podem representar muito bem para que você pense que é real. É como as flores de imitação que as pessoas podem fazer hoje que parecem tão reais que você as regaria, mas você não pode enganar uma abelha. É a vida que testa todas as coisas.

Precisamos ser como pedras preciosas. Com estas pedras preciosas Ele está habilitado a edificar Sua igreja. Porque é que a igreja não é edificada? Não somos preciosos à Sua vista. Não somos preciosos? Não estamos querendo pagar o preço. Sob a pressão quebramos, ao invés de: “Na angustia [pressão] me deste largueza” (Sl 4:1). Quando passamos pelo fogo clamamos. E, contudo Pedro disse: “Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo” (1 Pe 1:7). Irmãos e irmãs, é caro, mas é digno. Se não quisermos pagar o preço, a igreja não pode ser edificada. O reino edifica a igreja.

AS PEDRAS EDIFICADAS JUNTAS

Finalmente, não é suficiente apenas ser pedras vivas. Não é suficiente que sejamos pedras preciosas. Hoje, quando você tem uma pedra preciosa, você pode exibi-la em um museu, colocá-la em um pedestal e permitir que todos a vejam e a admirem. Nosso Deus é muito econômico. Ele é muito funcional. Ele nos faz pedras preciosas, não para exibição, mas para edificação. Quando você realmente quer edificar com pedras preciosas, o que você faz? Você tem que edificar uma pedra preciosa com outra pedra preciosa. Você precisa fazer uma porção de cortes, lapidações, entalhes e polimentos porque, muito embora elas sejam preciosas, têm suas diferenças, formas singulares. Elas não podem ser colocadas juntas.

É verdade que há um caráter de Cristo sendo edificado em nós, mas você encontrará muitos irmãos e irmãs que amam o Senhor e você realmente pode ver nelas não apenas vida mas preciosidade e caráter de Cristo, mas coloque-as juntas e elas não se ajustam juntas. Por que? Mesmo com estas pedras preciosas deve haver mais trabalho. Você pode ser de dez quilates, mas para ser edificado naquele lugar onde Deus o coloca, você pode ter que ser reduzido a um quilate. Como precisamos estar juntos, unidos juntos em um.

É bonito, maravilhoso que quando Moisés edificou o tabernáculo usou tábuas de dez côvados de altura, um côvado e meio de largura, com dois encaixes, isto é duas pernas. Ele colocou estas tábuas juntas, e elas se ajustaram umas às outras. Não era apenas uma tábua em pé ali para exibição, mas estas tábuas eram colocadas juntas.

Quando Salomão edificou o templo, pedras maciças foram cortadas na pedreira, e quando eram cortadas tudo era feito de acordo com o padrão. Se você é uma pedra para ser colocada em uma certa posição com as outras pedras, então você é dimensionado daquela forma. Você é cortado e serrado, por dentro e por fora. Então você é alisado, numerado e transportado para o monte Muriá. Ali você é apenas colocado no lugar. Não há som de martelo ou aço, é apenas encaixar. Todo o trabalho é feito no escuro. Em outras palavras, não apenas nossa vida natural tem que ser tratada pela cruz, mesmo a vida de Cristo em nós precisa passar pela cruz para ser ajustada com nossos irmãos e irmãs.

Certamente precisamos de graça. Sem a graça quem pode suportá-lo? E você encontra que a graça está ali. “A Minha graça ti basta”. Pela Sua graça seremos transformados. Pela Sua graça seremos capacitados a nos ajustar uns aos outros para que a igreja seja edificada.

Deixe-me resumir dessa foram. A igreja é edificada com vida, com a vida de Cristo, não com a sua vida, não com a minha vida, mas com a vida de Cristo em você e em mim. Mas estranhamente, a vida sozinha não pode ser edificada junta, mesmo se tivermos a mesma vida. Para que a igreja seja edificada, não precisamos apenas de vida, precisamos de autoridade. Vida mais autoridade é como a igreja é edificada. Certamente, autoridade sem vida é tirania e isso destrói. A autoridade tem que ser exercitada em amor, em vida.

Encontramos vida na igreja, mas onde está a autoridade? Não estou falando em autoridade humana. Estou falando sobre autoridade divina. Em outras palavras, retenham firme a cabeça e então todos os membros do corpo estarão juntos e ajustados. Reter firme a cabeça simplesmente significa o senhorio de Cristo. Se todos respeitamos, retemos firmes, nos submetemos à autoridade do cabeça da igreja, Cristo, fluiremos juntos. Onde está a autoridade do cabeça? A autoridade do cabeça está representada pelo Espírito Santo hoje. O Espírito Santo é a autoridade; Ele representa a autoridade do cabeça. Como precisamos obedecer ao Espírito Santo.

O irmão Watchman Nee nos disse que quando chegamos a uma igreja a primeira coisa não é encontrar sobre quem teremos autoridade. A primeira coisa que você faz é encontrar a quem você deve se submeter. Se aprendermos a nos submeter uns aos outros no temor de Cristo, se vermos a autoridade de Cristo, do Espírito Santo, em cada um dos outros e nos submetemos uns aos outros no temor de Cristo, a igreja será edificada. Não haverá problemas.

Hoje todos nós queremos liberdade. Graças a Deus, se você conhece a verdade, a verdade o libertará. Se você conhece o Senhor, o Filho de Deus, Ele o fará livre. Graças a Deus somos livres, mas como abusamos de nossa liberdade. Quando vamos à igreja, dizemos que somos completamente livres – livres para tudo. Isso é a igreja. A igreja pode ser edificada com esse tipo de liberdade? Bem, dizemos que onde está o Espírito ali há liberdade. Mas muitas vezes, não é o Espírito Santo, é o seu próprio espírito sob a carne.

Na igreja hoje há tal conflito. Algumas pessoas crêem na liberdade, livre para tudo. Outras pessoas crêem na ordem, tudo deveria ser em ordem, e elas lutam umas contra as outras. Há liberdade, mas há ordem porque nosso Deus é um Deus de ordem. E é somente dentro da ordem é que você tem a mais plena liberdade. Algumas pessoas crêem no amor. A igreja é toda amor. Você ama de tal forma que ama até mesmo o pecado naquela pessoa. Se você quiser a disciplinar, bem, disciplina não está no dicionário. Mas a igreja nunca pode ser edificada sem a disciplina.

Em Mateus 18 você encontra que a igreja local deve ser edificada e ali há disciplina. Uma igreja que não tem disciplina não é igreja. Esta é a razão pela qual dizemos que o reino edifica a igreja. A pregação do evangelho do reino nos traz para a igreja, nas depois que estamos na igreja, os princípios do reino têm que continuar a operar em nós para a edificação da igreja.

Porque é que a igreja não é edificada? É porque não vemos o reino. Não vemos o Rei. Ante de eu vir esta manhã, a palavra que veio a mim, a oração em meu coração foi: Eu amo o Teu reino, Senhor. Eu amo a Tua igreja. Quando vim e vi que este era o cântico que seria cantado, agradeci ao Senhor. Amamos a igreja? Dizemos que amamos a igreja, mas se não amamos o reino, nosso amor pela igreja é vazio. Assim, que o Senhor nos ajude a amar o reino para que possamos amar a igreja.

Vamos orar:

Querido Pai celestial, Tu amaste Teu Filho, Teu Filho primogênito. E por causa disso Tu propuseste dar a Ele um reino como Sua herança. Tu O fizeste herdeiro de todas as coisas. Oh, nosso Pai celestial, Ti adoramos e agradecemos porque Tu amaste tanto o Teu Filho que determinaste dar a Ele uma noiva para ser Sua ajudadora, para ser uma com Ele, Ti agradecemos porque Teu Filho, pelo reino e pela igreja, derramou Sua própria vida. Oh, nossa oração nesta noite é que possamos amar a Tua igreja e amar o Teu reino. Queremos ver Teu reino vir, mas Teu reino não pode vir se Tua noiva não estiver pronta. Senhor, queremos que Tua noiva esteja pronta, portanto, oramos para que venha o Teu reino hoje, para nós, para que Tua igreja possa ser edificada, para que possamos apressar a vinda do Rei, nosso noivo. No nome de nosso Senhor Jesus. Amém

Stephen Kaung - Editora Restauração

 

 

Voltar

Rua Artur Machado 935, Boa Vista - Uberaba-MG