Fotos de Eventos RealizadosRefletindo Acessar WebMail



A Unidade na Multiformidade Indique para um amigo

"... Cristo é tudo em todos"

Colossenses 3.11.



Olhando as cartas que foram enviadas para as igrejas no livro de Apocalipse, podemos destacar uma expressão na igreja de Éfeso: "Lembra-te, pois, donde caíste, e arrepende-te..." (Apoc. 2.5).

Como nos ensinam alguns irmãos estudiosos do livro de Apocalipse, podemos olhar para as sete igrejas de duas formas: a primeira no sentido horizontal, que mostra as sete igrejas da época quando escreveu João. A segunda, de uma forma vertical, isto é, os tempos que a igreja do Senhor passou, desde o Pentecostes até os dias de hoje.

O que tinha a igreja no seu início, que depois de algum tempo foi perdida pela igreja do Senhor? O primeiro amor. A perda do maior mandamento e do segundo que é semelhante a ele (Mt 22.37-39).

No princípio dessa queda, ainda aborreciam a doutrina dos nicoláitas, mas a falta de amor levou alguns da igreja em Pérgamo a seguir esta doutrina que Jesus abomina. Ela divide a igreja do Senhor que é formada pela cabeça (Cristo) e membros (todos os cristãos), colocando mediadores entre Cristo e a Sua igreja. Esta doutrina ensina que a igreja é formada de dois grupos de pessoas, os "nikaos", os superiores, espirituais, e o "laico", o restante do povo, eliminando assim a cabeça: Cristo.

De Pérgamo, caímos em Tiatira. A perda do primeiro amor e do sacerdócio de cada membro do Corpo de Cristo, levantando homens dominadores e um povo idolatra.

De Tiatira caímos para Sardes. De dominadores e idólatras, passamos a doutrinas varias e estranhas. Nuvens sem água, uma graça dissolvida (Judas), outro evangelho, um evangelho que não salva. Tem nome de que vivem, mais estão mortos.

Como isto prospera! Prospera a ponto de vivermos uma vida aparente, externa, de conformidade com o mundo; mas diante do Senhor, somos pobres, miseráveis, cegos, e nus.

Milagres, maravilhas, prosperidade, estamos em Laodicéia. Caímos no exclusivismo.

Das sete igrejas, somente duas não receberam a repreensão do Senhor para se arrependerem. Nessas duas igrejas, o testemunho do Senhor é que são pobres, fracos, e tudo isto em contraste às outras igrejas, mas ao contrário dos outros são ricos no Senhor e guardam a Sua Palavra.

Como retornarmos ao princípio? Onde estávamos? Quando caímos, e do que temos que nos arrepender?

Temos que voltar ao primeiro amor, porque todo o resto é conseqüência dessa queda. No que consiste o primeiro amor? Amar ao Senhor, guardar a Sua Palavra.

Qual é o testemunho verdadeiro do amor a Deus? O amor aos irmãos. Porque se não amamos os irmãos os quais vemos, como poderemos amar a Deus a quem não vemos!

E qual deve ser a base desse amor? Que Cristo é tudo em todos.

Se tínhamos alguma diferença, agora não há mais. Naquela cruz ele destruiu toda diferença. Não há mais judeu nem grego, nem escravo nem livre, nem homem nem mulher, nem circuncisão nem incircuncisão, pois Cristo é tudo em todos.

Não há diferenças de cor, raças ou classes sociais entre os irmãos. O Senhor nos fez um com Ele e com o Pai. Cristo é tudo - não uma fração diferente em cada um. Ele é tudo em mim, em você e em cada um que Ele recebeu. Ele é tudo, e em todos.

Estamos vivendo tempos de arrependimento meus amados irmãos. Lembremos donde caímos, voltemos ao primeiro amor, e todo o resto que não é do Senhor se desfará.


Contribuição recebida por e-mail.

 

 

Voltar

Rua Artur Machado 935, Boa Vista - Uberaba-MG